15 de fev de 2011

Ruas

Caminham calças e saias
Sem pernas e sem rumos
Carentes de abraços

Cheiros molhados
Em lixo Homem
De fome urram
Beijando o asfalto

Relâmpagos, tiros
Paralisam a rotina
Olhos chovem
Em nuvens de esquecimento

Multi coloridas flores
Murcham
Passageiras
Do ônibus da vida
Que segue

Um comentário:

  1. Os tres ultimos versos me lembraram um texto que fiz a um tempo a traz

    ResponderExcluir